Header Ads

Segunda Opinião | "Got Talent Portugal"

https://nit.pt/wp-content/uploads/2018/03/ebab4580a04fb5e90cab3f5286c9d41b.jpg

O "Got Talent Portugal" voltou à RTP, para aquela que é a sua quarta edição consecutiva. Depois de ter sido exibido originalmente em 2007 com o nome "Aqui Há Talento", na RTP, e em 2011 como "Portugal tem Talento", na SIC, o formato tem sido aposta da estação pública desde 2015.

Ao contrário do que tem acontecido nas temporadas anteriores, o painel de jurados não sofreu alterações, e voltamos a contar com Cuca Roseta, Pedro Tochas e Manuel Moura dos Santos no júri. O à vontade entre os três elementos é inegável, apesar das suas personalidades serem tão diferentes. Destaque para Cuca Roseta, que nesta nova edição tem vindo a surpreender pela positiva, mostrando-se mais à vontade e assertiva nos comentários, sem perder a sua faceta emotiva e mais doce.

Também os apresentadores são os mesmos em relação ao ano passado. Pedro Fernandes e Sílvia Alberto mantém-se firmes na condução do programa. O talento das duas caras da RTP já não é novidade para os telespetadores, uma vez que os mesmos já conduziram diversos formatos nos últimos anos - Sílvia Alberto foi, inclusivamente, a primeira apresentadora do Got Talent em Portugal, em 2007.

Depois de tantos talentos que já foram passando pelo programa, poderia parecer difícil encontrar surpresas nos concorrentes que marcassem presença no palco do "Got Talent". Mas a verdade é que esta temporada conseguiu elevar a fasquia em relação à anterior, trazendo talentos mais variados e apostando em verdadeiras surpresas.

A dança, o canto, a magia, o humor e as artes circences são as mais presentes. Mas existem outras situações inesperadas que têm passado pelos castings do programa e que continuam a fazer deste um dos melhores formatos produzidos em Portugal.

O "Got Talent Portugal" deverá manter-se nas noites de domingo até o público querer. E, a par do "The Voice Portugal", é o programa de maior audiência nas noites de domingo da RTP, aproximando-se da concorrência direta. Enquanto assim for, os talent-shows continuarão a fazer a delícia dos portugueses.

Segunda Opinião - 118ª Edição 
Uma rubrica em parceria com o
http://diario-da-tv.blogspot.pt/

Sem comentários